Ressurgindo das cinzas...

terça-feira, fevereiro 25, 2014

Depois de abandonar o blog por 3 meses, eis que estamos de volta...
Na verdade, até o mês passado nem pensava em voltar a escrever por aqui, pois não tinha nem inspiração nem muitas novidades...e somado a isso vinham os problemas e as decepções de se viver em condomínio.

Para vocês entenderem vou fazer um resuminho da história toda:
Há quatro anos atrás (tudo isso mesmo????) assinávamos o contrato do nosso primeiro lar. Depois de dois loongos anos de espera, uma ansiedade imensa e inúmeros planejamentos do cantinho perfeito para nós, finalmente veio o grande momento: a entrega das chaves. Como todo casal que compra seu primeiro imóvel, os sonhos e a felicidade não tem tamanho, afinal é uma realização muito grande na vida de duas pessoas.
Com as chaves em mãos e um sorriso imenso no rosto, começamos devagarinho as reformas no nosso apartamento, que apesar de não ser tão big, era perfeito. Só tínhamos tempos de ir lá à noite, e ficávamos abismados com a tranqüilidade do lugar, o silêncio da rua e no prédio inteiro, ver que muitos vizinhos eram amigos e conhecidos e outros que conhecemos depois e descobrimos serem pessoas muito bacanas.
Passado o stress da escolha de materiais, compras de produtos, móveis e tudo mais que um lar precisa para ser habitado chegou o grande momento da mudança. As primeiras noites foram um pouco perturbadas pela estranheza do novo quarto e os barulhos aos quais não estávamos habituados.
Meses se passaram e a irritação com esses barulhos foram aumentando, pois noites sem conseguir dormir direito acabam virando um problema. E a fonte desses barulhos: nossa vizinha de baixo.
Sabíamos com certeza que era a vizinha de baixo, pois acima de nós até hoje tem 3 apartamentos vazios e as 2:00 da madrugada (sim, 2:00 da manhã) o apartamento dela era o único com luzes ligadas.
Desde que nos mudamos, nunca conseguimos ir dormir no horário que gostaríamos, sempre dependíamos da boa vontade da vizinha em fazer silêncio, o que geralmente acontecia depois da 1 da manhã.
Mais tarde descobrimos que a mulher mora de aluguel ali, aí sabíamos que não seria resolvido tão fácil assim. Dito e feito, reclamamos com a síndica na época e o problema se resolvia por 2 a 3 dias, depois tudo voltava a ser como antes: portas batendo, risadas e conversas que ouvíamos de camarote, passos profundos quando a individua caminhava, cadeiras arrastando...enfim, acredito que ela fazia limpeza ou alguma coisa do tipo a esse horário porque era barulho que não acabava mais.
Pode parecer exagero meu, mas quando a mulher caminhava no andar de baixo a delicadeza era tanta que às vezes chegava a vibrar as paredes do nosso apartamento, pois sentíamos pela cabeceira da cama que fica encostada na parede. Para vocês terem idéia, ouvíamos até quando ela ligava e desligava o interruptor da luz.
Enfim, com o tempo fomos desanimando, o apartamento foi perdendo o encanto e passamos a não investir mais nele, pois o nervosismo que passávamos todos os dias foi ficando demais. Por isso, o desejo de nos mudar dali foi crescendo a cada dia e à meses viemos cogitando possibilidades.
Aposto que vocês estão se perguntando porque eu não comunicava a síndica????
Comunicar eu comuniquei...e várias vezes, porém diversas vezes que eu ligava para ela, esta já estava dormindo, afinal ela conseguia. E neste meio tempo houve a troca da gestão, e o novo síndico muito querido por sinal, falou diversas vezes com a vizinha de baixo, mas o mesmo se repetia: o silêncio depois das 22:00 durava por 2 ou 3 dias. Temos em convenção que se recebe advertência por 3 vezes depois você só recebe multa, porém as vezes que eu reclamei com a síndica anterior não contaram e a vizinha continua incólume com seus barulhos infernais.
Somos tão azarados que no dia que o síndico conseguiu vir no nosso apartamento ouvir os barulhos, a infeliz saiu de casa quando ele chegou, acreditam????
Enfim, desistimos e continuamos convivendo com os barulhos e por mais raiva que nos desse é o nosso atual lar.
Mas nas últimas semanas parece que houve mudanças. Não sei se agora ela trabalha e precisa levantar cedo como nós, mas ela está obedecendo aos horários e pela primeira vez nesses 8 meses que moramos lá, conseguimos ir dormir as 22:30.
Torçam por nós para que isso continue, assim me animo a vir aqui com mais freqüência, afinal de que adianta vir aqui escrever se não temos sossego no único lugar que deveríamos ter.

Para finalizar, desculpem pelo texto imenso, mas precisava desabafar e deixar um recado para quem vai se mudar ou se mudou recentemente para seus respectivos apês..colaborem com os seus vizinhos!! Hehehehehe

Prometo voltar em breve para atualizar vocês de como o apê está hoje e das compras recentes...

Bjos e espero que não tenham me abandonado =]

Você também poderá gostar

11 comentários

  1. Noooossssaaa Camila que coisa chata hein!
    Pior que tem muiiita gente sem noção mesmo, acho que pessoas assim não deveriam morar em condomínios, moram em casas de ruas mesmo.. aff. Para se viver em condomínio é preciso ter bom senso, coisa que essa mulher não tem hein.
    Torço muito para a paz reinar por aí viu!

    Beeijo grande e volte com fotinhos para nós rs.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela torcida Erika!
    E o mais revoltante ainda é todo esse stress por causa de uma única pessoa que nem sequer proprietária do apartamento é.

    Bjos...

    ResponderExcluir
  3. Entendo o que passa, aqui acontece o mesmo, mas com uma criança que não sei porque vai dormir sempre depois das 2h. É um corre corre, uma gritaria que pelo amor de Deus, já fui na porta da infeliz e fui obrigada a ouvir que ela não ia fazer a filha dela parar de correr! Pois bem, passei a interfonar as 4h da madrugada, pois sabiam que estavam dormindo kkkk! Cutucava com vassouras quando eles estavam com visitas. Visitas são esporádicas mas o incomodo que nos faziam era diário, pois bem ia passar vergonha mesmo! Até que a "FOFURA" da criança foi pra escola, esta era minha ultima esperança, pois tendo uma rotina acreditava que dormiria mais cedo.... e funcionou, este ano ela foi pra escola e o silêncio paira lá pelas 23h. Melhor que nada né! Boa sorte! Bjaum

    ResponderExcluir
  4. Ah... meus dois filhos nasceram em apartamentos e NUNCA deixei correrem em casa, e sempre ensinei a respeitarem o proximo e principalmente aos horários. Detalhe no outro ape fiquei sem vizinhos embaixo por quase 2 anos e nem por isso deixei que acostumassem a correr porque seria mais dificil tirar a mania! Bjaum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um belo exemplo Sessa!
      E apesar de tudo que sofríamos com o barulho, sempre fomos muito silenciosos. Quando a irritação era muito grande, de manhã quando eu acordava ficava desfilando pelo apê de salto (apesar de não usar pra trabalhar), pq quando eu acordava a bonita tava dormindo.
      Nunca tive coragem de ir bater na porta da vizinha, mas juro que já fiquei tão ensandecida que fiquei louca pra gritar pela janela, mas os outros vizinhos não tem culpa né? hehehe

      Bjos

      Excluir
  5. Nossa flor que coisa mais chata, tenho um super medo de acontecer isso comigo, tenho o sono tão leve que acordo muito fácil, e sempre existem pessoas inconvenientes nos condomínios.
    Sua história me fez lembrar do coitado do meu irmão, ele trabalhava como motorista de ônibus e acordava as 3h30 só que este era o horário que os vizinhos do apê de cima iam dormir, e como minha família toda tem sono leve ele quase não dormia, já estava tendo problemas psicológicos e assim como vc nem a administradora do condomínio resolveu o problema, eram um casal com três filhos, que todos os dias discutiam e as crianças corriam pelo apê a noite toda, enfim eles não aguentaram e colocaram o apê a venda e compraram uma casa. Um mês depois o casal se separou e se mudaram eles não acreditaram rsrsrs.

    Espero que de tudo certo ai, e que essa pessoa ou se mude ou comece a se tocar e parar de incomodar os outros.
    Volta com fotos.

    Bjos

    http://comprandonossoape.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ai que boa notícia... tomara que ela continue ocupada durante o dia para dormir direitinho à noite... essas coisinhas incomodam mesmo...
    Beijinhos... e bem vinda de volta :)

    ResponderExcluir
  7. Ô tadinha, que coisa chata!! Graças a Deus nunca tivemos problemas no ap que moro com meus pais, faz uns 10 anos e sempre foi paz e amor. Meus vizinhos são todos ótimos. Estou rezando de pés juntos para eu ter essa mesma sorte, afinal os apartamentos de hj em dia são bem mais sensiveis ao barulho né.
    Estou torcendo para reinar a paz aí, se não reinar por bem, espero que ela mude de apartamento. kkkk

    Bjssssss

    ResponderExcluir
  8. É incrível como tem gente q não respeita os outros,né? Será q eles não pensam q se fosse o contrário eles tb iriam gostar de ser respeitados? Minha mãe sempre dizia uma coisa q resume td "Não faça aos outros oq vc não gostaria q fizessem contigo", simples, né?
    No meu prédio o pessoal sempre se respeita, meu problema é com a casa q fica ao lado, todo final de semana sou obrigada a ouvir o péssimo repertório musical do vizinho, só músicas vulgares, num volume ensurdecedor! Ainda bem q até final de abril eu me mudo!!!!

    ResponderExcluir
  9. É muito triste passar por isso, estou com esse problema, só que minha vizinha é dona do ap então acho difícil eu me livrar dela. Que bom que no seu caso era inquilina e se mudou, imagino o alívio...Estou muito desanimada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jane! Pois é..é muito ruim tu estar no teu lar e não poder sequer descansar em paz. E o síndico do teu prédio já falou com essa vizinha??? Senão, faça pressão para essa questão do barulho nas reuniões de condomínio.
      Espero de verdade que consigas resolver isso e morar tranquilamente do teu apê.

      Bjos

      Excluir